4 Fatores de Sucesso para uma boa Gestão de Times Ágeis: CONSTRUINDO EQUIPES DE ALTO DESEMPENHO.

Dando continuidade à série “4 Fatores de Sucesso para uma boa Gestão de Times Ágeis”, neste artigo daremos algumas dicas e insights para que você consiga construir um time de alto desempenho.

Antes de mais nada, perceba que estamos usando a palavra “construir” e não “conseguir”, isso porque um time de alto rendimento não precisa apenas de pessoas boas, profissionais altamente qualificados de mercado, com certificações e/ou especializações. Um time de alto desempenho precisa ser moldado, construído, desenvolvido, precisam estar comprometidos com a missão, e isso é um processo, não é da noite para o dia que você conseguirá esse sucesso.

Mas como identificar um time de alto desempenho e quais características possuem? Abaixo listamos alguns pontos importantes, veja:

  • Autogestão: No artigo anterior falamos que o time precisa saber qual é a missão, isso precisa estar claro para todos. O time precisa saber para onde está indo, qual será o ritmo, o tamanho do desafio e qual o plano para que todos consigam. É papel do líder fazer que com que todos tenham ciência desse planejamento, dessa forma, junto com pessoas comprometidas, cada um saberá qual o seu papel e o que precisa ser feito em cada etapa (hora, dia, semana, mês, seja qual for a forma de medição);
  • Prontidão: O time precisa estar pronto no tempo/hora determinados. O time precisa ter tempo para você. Isso é importante para que consiga rever o planejamento e direção que estão indo, avaliar os resultados e principalmente identificar rápido eventuais riscos. No momento de pandemia em que passamos, onde muitos profissionais estão trabalhando na modalidade home office, podemos ter duas vertentes de atuação (combinado):
    • Time trabalhando em regime normal, por exemplo (09h às 18h), assim você saberá o horário que conseguirá falar com o time;
    • Ou deixar que cada recurso escolha um período de trabalho ao longo do dia, porém é necessário fixar pelo menos dois momentos durante o dia para que todos possam se falar, o que chamamos de reunião de daily (com base no framework Scrum).
  • Resultados/disciplina: O time fará as entregas, mas quem é o responsável por medir os resultados é o Líder. O Líder é que precisa manter a disciplina do time para que façam no dia o que foi planejado para aquele dia, não deixar acumular, não deixar atrasar, caso contrário o fracasso é certo;
  • Propósito: Mas porque mesmo estamos fazendo isso? Essa pergunta/dúvida não deve existir dentro do time, todos têm que ter ciência do real motivo de tanto esforço. Contextualise para a equipe o objetivo. Por exemplo, aqui na fábrica de software, sempre que temos algo novo a ser desenvolvido, eu explico para o time para quê, porquê e para quem será utilizado, e como aquilo irá melhorar a vida de quem irá receber. Quando o time entende o motivo, facilita o comprometimento. É preciso que haja uma sinergia entre os valores da empresa com o perfil do time. Ainda sobre propósito, falo sempre que precisamos dar mais atenção aos nossos sentimentos, o time precisa sentir que é possível entregar a missão, é preciso ter fé!
  • Adaptação: Mas não vão achando que a vida é sempre “flores” e o caminho será fácil. Além do caminho nem sempre ser fácil, ele pode mudar. O Líder precisa ter visão, um bom acompanhamento do plano e estar atento a tudo o que acontece dentro e fora da equipe, para que consiga se antecipar há algum risco que possa impactar diretamente a equipe, prazo, etc. Inclusive, “Adaptação” é um dos valores do Núcleo Camaleão!
  • Protagonismo: É dado pela autonomia funcional. O protagonista parte para cima, planeja e age, realiza, entrega, busca soluções em meio ao caos. Nem todas as pessoas são protagonistas de natureza, mas é possível desenvolver essa habilidade.

Para formarmos uma equipe de alto desempenho, é necessário termos vários perfis diferentes de pessoas, entretanto, nem toda atividade precisa de uma equipe, a equipe é inserida no contexto geral. Dependendo do trabalho, você precisará de um time mais comprometido ou não.

Ir além é um opção sua, ou faz e se torna um modelo ou viva na mediocridade. A cada proposta de mudança/inovação, nós precisamos nos colocarmos como líderes e entender como ajudar todos a pensarem nos ganhos que teremos ao conquistar determinado objetivo.

Concluído essa 2ª parte do artigo, deixo abaixo alguns conceitos utilizados pelo BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais), reconhecidos por sempre formarem times de alto desempenho:

  • Método 3M (BOPE):
    • Melhor desempenho;
    • Máxima segurança;
    • Mínimo esforço.
  • Diretrizes das operações especiais (BOPE):
    • 1) Aprenda: o saber não ocupa espaço;
    • 2) Aja! Faça acontecer;
    • 3) Persevere! Não reclame. Não adie e não desista!;
    • 4) Lidere! Faça o melhor e seja um exemplo;
    • 5) Vença! Você nunca estará sozinho, lembre-se da sua equipe.
  • Regra vitoriosa (BOPE):
    • DEFINA a missão;
    • PLANEJE – Estratégias e táticas;
    • PREPARE – Mobilize os recursos e a equipe;
    • EXECUTE – Disciplina e excelência;
    • AVALIE os resultados – Aprenda e ajuste.

 

“A missão te cansa, mas você faz aquilo porque acredita naquilo que está fazendo.” (Paulo Storani).

 

Até a próxima parte desta série e lembre-se: comemore com seu time os resultados!

 

Anderson Paiva, PMP, MCTS

Deixe um comentário

× Como posso te ajudar?